Critica: Extraordinário.

O filme mais extraordinário do ano, uma lição singela da vida. 




Sinopse: Um filme de Stephen Chbosky com Jacob Tremblay, Owen Wilson, Izabela Vidovic, Julia Roberts. Auggie ... Sinopse e detalhes. Não recomendado para menores de 10 anos. Auggie Pullman (Jacob Tremblay) é um garoto que nasceu com uma deformação facial, o que fez com que passasse por 27 cirurgias plásticas.


***

Sei que não sou um garoto de dez anos comum. Quer dizer, é claro que faço coisas comuns. Tomo sorvete. Ando de bicicleta. Jogo bola.Tenho um Xbox. 
Essas coisas me fazem ser comum. Por dentro. Mas sei que as crianças comuns não fazem outras crianças comuns saírem correndo e gritando do parquinho. Sei que os outros não ficam encarando as crianças comuns aonde quer que elas vão. 
Se eu encontrasse uma lâmpada mágica e pudesse fazer um desejo, pediria para ter um rosto comum, em que ninguém nunca prestasse atenção. 
Não vou descrever minha aparência. Não importa o que você esteja pensando, porque provavelmente é pior.

— August Pullman. 


O filme, uma adaptação do livro com o mesmo nome conta a história de August Pullman, um garoto extraordinario, fã de Star Wars, que é irmão da Via e tem uma cadela chamada Daisy, mas esses são apenas três detalhes da vida de Auggie. Essa adaptação acompanha o primeiro ano escolar de Auggie que antes era ensinado em casa por sua mãe, interpretado por Julia Roberts, um show de atuação do começo ao fim. 

O roteiro se mantém muito fiel ao livro, com cortes das visões de cada personagem, fazendo com que o espectador aproveite cada detalhe dessa magnifica história. 

As referencias vem das mais diversas formas, para quem leu o livro sabe que o Auggie usa variadas metáforas e elas são aproveitadas com maestria. 

Os efeitos especiais são dignos e limpos, as atuações totalmente tocantes e convincentes. O tema muito atual, inclusão é algo que deveria ser discutido e exposto sempre. 

O elenco foi muito bem escalado, uma das cenas mais especiais, é a do pai de Auggie e sua cadela a Daisy, para quem não se recorda o ator também já fez o filme Marley & Eu. 

Uma fotografia com cores que abraçam quem está assistindo, uma trilha sonora de emocionar e frases marcantes ditas por todos os personagens. 

O filme nos ensina que crianças são apenas crianças. E adultos são os espelhos delas. Assim como um dia já foram crianças e se espelharam em alguém. Porém ao mesmo tempo mostra a independência dos  pequenos, em uma época onde eles estão amadurecendo cada vez mais precocemente. 

Sem dar nenhum spoiler do filme, só posso afirmar que esse é um filme para se aplaudir de pé. 

***

Todo mundo deveria ser aplaudido de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos
nós vencemos o mundo.


Share on Google Plus

0 comentários: