Crítica: The Good Place

“I live in a boundless void.” — Janet
(Eu vivo em um vácuo infinito.)



Criador: Michael Schur
Status: Em andamento
Gênero: Comédia
Ano: 2016 - (ainda em andamento)


“Eleanor Shellstrop (Kristen Bell) está morta. Acontece que, após sua partida, ela foi enviada ao "Good Place - ou "Bom Lugar" -, um lugar de eterna felicidade destinado às pessoas que fizeram o bem durante suas vidas. Lá, todos são bons e encontram as suas almas gêmeas, com quem passarão o resto da eternidade. Mas tudo isso não passa de um acidente: Eleanor não merece estar lá. E agora, será que ela vai conseguir esconder a verdade de Michael (Ted Danson), que coordena a vizinhança, ou será eventualmente enviada ao "Bad Place"?”



A série traz uma proposta bastante interessante e cumpre o que promete ao espectador quando ele lê sua sinopse intrigante. Por falar de um assunto não muito abordado em filmes e séries, que seria essa ideia de mostrar uma imagem de vida após a morte, o enredo por si só faz o papel de chamariz. Ele dispensa quaisquer outros tipos de iscas para atrair a atenção de espectadores, porém o diferencial da série é a forma como ela aborda a história da protagonista e daqueles que a cercam.

The Good Place é o tipo de comédia que todos já conhecem, um estilo meio bobo e bastante exagerado, que abusa do seu maior recurso, as piadas. Apesar de fazer isso de forma extremamente eficiente, já que o objetivo de fazer quem assiste rir com a confusão em que Eleanor acaba entrando ao ser mandada para o lugar errado e as consequências disso é atingido com sucesso, eles acabam abusando um pouco e criam uma atmosfera que, às vezes, acaba prejudicando o desenvolvimento da história, que pode criar um clima engraçado sem necessidade de forçar piadas.

Deixando de lado esses pequenos detalhes negativos, a série apresenta muitos pontos positivos, por exemplo: uma atuação muito convincente, uma construção de enredo impecável e um plot twist incrível no final da primeira temporada que prende quem está assistindo e obriga o espectador a assistir a segunda temporada. Esta última consegue ser tão boa quanto a primeira, sem se tornar cansativa e tomando um rumo totalmente diferente do que se espera nos primeiros episódios. Ainda assim, a diversão continua se fazendo presente. 

The Good Place realmente não deixa a desejar e, apesar de possuir uma abordagem  cômica que pode fazer as pessoas não levarem ela a sério no começo, é o passatempo perfeito para quem quer conhecer uma história engraçada e muito cativante.

Share on Google Plus

0 comentários: