Resenha: A vida imperfeita de Teca.



Autor: Maria Freitas
Gênero: Mistério e Suspense
Publicação: Wattpad
Ano: 2018
 Capítulos: 41
Visualizações: 7,9K
 Votos: 1,6K
Classificação: 18


OBRA RECOMENDADA para maiores de 17 anos por conter temas como: racismo, LGBTfobia, distúrbios alimentares, depressão, entre outros assuntos que podem gerar crises psicoemocionais. 
Dados atualizados 09/04/2018. 


Deu tudo errado!





Design da capa: Maria Freitas

Foto por: Sarah Diniz Outeiro no Unsplash | Instagram: @saaout | Modelo: @nanath


 As Férias com Teca começaram com três fãs, mas somente dois sobreviveram para o último vídeo.



Tereza Carolina é uma vlogger de sucesso. Com 18 anos, a garota coleciona fãs e fiéis seguidores, mostrando sua vida de festas, riqueza e luxo. Mas nós vamos descobrir que nem tudo são flores para Teca, quando ela abrir as portas de sua vida para três fãs nem tão fiéis.

Quem você matou, Maria?

Essa é a pergunta que fica na cabeça do leitor durante todo o livro, mas não se engane ao achar que essa é simplesmente uma história de quem morreu ou quem matou ou como morreu. A vida imperfeita de Teca é o soco necessário na cara da sociedade. Tudo bem, não literalmente. 

Maria Freitas consegue deixar uma mensagem bem clara com esse livro: O ódio mata. E sim, ele matou um dos três fãs que foram passar as férias com Teca. O que era para ser simples, se tornou conturbado quando foi apresentado aos fãs a proposta de ganharem um patrocínio de uma marca de chicletes famosa. Para isso eles terão que entrar em uma competição, uma competição que pode colocar a vida de um deles em risco. 

Sonhos. Liberdade. Justiça. Qual fator é determinante para traçar a linha da vida desses personagens? 

Repleto de segredos a trama se desenrola de uma forma não muito convencional, a autora apresenta os fatos fora de ordem cronológica, ou seja, passado, presente e futuro se mesclam no enredo, um enredo que tinha tudo para deixar pontas soltas e perguntas sem respostas, mas não deixou. A autora conseguiu fechar todas as tramas que ela mesmo abriu, com o desenvolvimento abrangente, isto é, envolvendo todos os personagens e suas visões em um só contexto, a escritora prova mais uma vez que será um dos grandes nomes da literatura nacional. 

Explorando a humanidade na sua forma mais bruta, a obra intitulada A vida (im)perfeita de Teca não simplesmente consegue convencer o leitor como também o fazer personagem. 

Somos todos Gio, quando cobiçamos o que é do outro, quando pisamos em outras pessoas para alcançar nossos objetivos e quando mesmo assim, somos capazes de admitir nossos erros e tentar ser uma pessoa melhor cada dia que passe. 

Somos todos Julia, quando somos movidos pela fome de justiça, quando nos revoltamos com as manchetes dos jornais, quando nos sentimos inferiores e mesmo assim não deixamos de lutar pelo o que achamos certo. 

Somos todos Anna, quando idealizamos nos outros e em nós mesmos uma vida perfeita, quando vamos além dos nossos limites, mas quando também mostramos que não estamos nessa vida para brincar, que mesmo que o mundo queira te mergulhar no oceano da vergonha, nos levantemos e em alto e bom som, gritaremos: Essa sou eu. 

Somos todos Teca, Luca, Tom ... somos os personagens da Maria, porque eles transpassam a linha entre o ficcional e o real, eles são nossos vizinhos, familiares, conhecidos e principalmente nós. 

Abordando tanto a homossexualidade, quanto a heterossexualidade, a autora finalmente fez algo que está em falta no âmbito da literatura, deu voz para um personagem bissexual. Sem estereotipar, sem vulgarizar, sem errar em suas palavras. Isso claro, deve-se ao fato de que a autora também levanta essa bandeira e a carrega nas costas diariamente. 

Maria Freitas levanta discussões relevantes para toda a sociedade, um desafio enorme nos dias de hoje, ela tomou muito cuidado e teve a preocupação de estudar os temas para falar de assuntos sérios e necessários. 

No final das conas, não é um livro de quem morreu, mas sim de quem está disposto a continuar lutando para viver. 

Com personagens redondos além da protagonista e a visão de cada um deles sobre o que estava acontecendo, a trama se desenvolve cheia de mistérios além do principal. Em cada capitulo temos uma pergunta sem resposta, uma atitude inesperada dos personagens, um momento que todos estavam esperando por ele, mas que parece nunca chegar. 

Referências ao livro sagrado, a bíblia e também com muitas citações de musicas e termos da internet, o livro consegue mesclar o clássico com o moderno, sem perder nenhum dos dois. 

Outro destaque do livro é a particularidade regional de cada personagem, dando verossimilhança e mais credibilidade ao trabalho da escritora. Termos regionais, vestes, costumes, tudo foi abordado de forma excepcional. 

Nesse livro tudo tem um motivo, faça suas teorias e cuidado para não cair em nenhuma armadilha. 

Como explicar que dera tudo errado?

Que as Férias com Teca começaram com três fãs, mas que somente dois sobreviveram para o último vídeo? 











Share on Google Plus

0 comentários: