Crítica: Desventuras em Série.

É MELHOR NÃO OLHAR! 

A Netflix lançou a última temporada da série Desventuras em Série, com um roteiro bem consistente e boas atuações a série manteve o nível da primeira temporada que havia caído bastante na segunda. 




Os três órfãos Baudelaire enfrentam dificuldades, obstáculos e até adultos em sua corrida para descobrir os segredos da família, a premissa desta série original Netflix cobriu as vidas dos três irmãos Baudelaire. Violet, Klaus e a pequena Sunny que tiveram seus pais mortos em um misterioso incêndio. Depois de serem informados da tragédia por Arthur Poe, banqueiro pessoal da família, são deixados aos “cuidados” de um parente distante, Conde Olaf, um ator pouco talentoso e determinado a tirar a fortuna dos irmãos Baudelaire. Após os planos de Olaf falharem e ele ser descoberto, os Baudelaire se vêem na situação de ter que fugir de Olaf e seus comparsas enquanto tentam descobrir o mistério sobre uma sociedade secreta relacionada com o passado de seus pais, ao mesmo tempo, que são colocados sob custódia de diferentes guardiões.

Neil Patrick Harris consegue convencer no papel de Olaf, algo que o ator Jim Carrey não conseguiu, aliás, o filme inteiro consegue ser muito ruim se comparado a série. Nas primeiras temporadas faltava um pouco de dinamismo entre os personagens, já nessa última, tudo foi alcançado. Algumas pontas soltas aqui e ali, mas o roteiro consegue emocionar e dar uma lição de moral em quem está assistindo. O visual da série é atrativo e abre espaço para que a série seja assistida tanto por crianças quanto por adultos. É claro que quanto mais se vive, mais se absorve. Durante as três temporadas os roteiristas deixaram reflexões sobre a nossa sociedade implícitas nos textos, porém, nos dois últimos episódios da terceira temporada as mensagens são bem claras e choca ao mesmo tempo que emociona e de certa forma, liberta. O maior destaque foi a atuação dos pequenos, que conseguiram manter boas atuações do começo ao fim do show. 



Narrado por Lemony, a série cumpre muito bem o seu papel. E de forma honrosa, acaba. Uma super indicação para as férias. 

Nota: 4,5/5. 

Share on Google Plus

Sobre o autor: Alan Silva, Nascido em 1997, Mora em Jandira - São Paulo. Estudante de Letras (Português e Espanhol). Escritor dos livros Isaac e Vera Cruz. Organizador da antologia O AMOR ESTÁ NO AR. Dono da página O Vicio Olimpiano.

0 comentários: